Prostatite bacteriana: Saiba mais

Prostatite bacteriana: Saiba mais

A prostatite bacteriana é uma infecção na próstata provocada por uma bactéria. Ela pode ser tanto crônica como aguda e geralmente causa muita dor.

Conhecer os sintomas da prostatite, seja ela aguda ou crônica, é fundamental, uma vez que são eles que irão alertar para a necessidade de um diagnóstico feito por um especialista.

Continue lendo esse post e descubra mais sobre os sintomas da prostatite bacteriana, como identificar esse problema e a melhor forma de tratamento.

Quais os sintomas da prostatite bacteriana?

Os sintomas das prostatite bacteriana variam conforme o tipo.

No caso da prostatite aguda, o primeiro sinal é uma afecção febril que tem início repentino. Em seguida, é comum surgirem como dores fortes ao urinar.

A crônica, por sua vez, apresenta uma evolução de sintomas mais lenta. Ela é caracterizada, principalmente, por uma infecção urinária que geralmente é de difícil tratamento.

Isso ocorre por conta da bactéria situada no fluido que é sintetizado por este órgão, mesmo após a realização de antibioticoterapia.

Normalmente, a prostatite do tipo bacteriana é causada pela bactéria Escherichia coli. Contudo, outras também podem causar a doença.

Além disso, em alguns casos, mais de um tipo de bactéria pode ser responsável pelo distúrbio.

Em alguns casos agudos, pode ocorrer a presença de abscessos na região da próstata. Geralmente isso ocorre em homens com idade variando entre 50 e 70 anos.

Como é feito o diagnóstico da prostatite bacteriana?

O diagnóstico é dado por meio de um exame de palpação retal. Através desse exame, é possível identificar alguma alteração que possa ter surgido na próstata. Ele deve ser feito apenas por um urologista, já que o exame pode desencadear uma nova crise.

Entre as principais alterações estão o tamanho e a consistência. Além disso, o médico também verifica a presença de dor, e a intensidade dela.

A partir desse exame o médico poderá indicar outros que possam ser necessários, entre eles a biópsia de próstata, uma ultrassonografia ou mesmo uma tomografia da região pélvica.

Outro exame muito importante e que deverá ser solicitado é a dosagem de PSA. Geralmente, quando o paciente está com prostatite bacteriana, a quantidade dele é elevada.

Também pode ser utilizada a chamada cistoscopia. Esse exame consiste na visualização direta do problema. Para isso, é utilizada uma mini câmera, que verifica o canal uretral, a bexiga e a próstata, mas somente após resolução do quadro agudo.

Como é feito o tratamento?

O tratamento da prostatite bacteriana é feito através do uso de antibióticos. Eles devem ser ingeridos por, no mínimo, 14 dias, quando o distúrbio é agudo.

Em alguns casos, é necessária internação. Um dos casos é quando há a necessidade de tratamento endovenoso. Já o segundo é quando o paciente apresenta obstrução urinária.

Em último caso, apenas em casos bem raros, é indicada a cirurgia da uretra e da próstata. No caso do surgimento de abscessos, geralmente eles não deixam sequelas, se forem diagnósticos e tratados em fase inicial.

Por conta disso é tão importante procurar um médico. Apenas ele poderá fazer o diagnóstico completo da prostatite bacteriana indicando se ela é aguda ou crônica, bem como o tratamento mais adequado para o caso do paciente.

Ficou com alguma dúvida? Aproveite e compartilhe conosco deixando o seu comentário abaixo!

Veja Mais Artigos >>