Cirurgia de prótese peniana: Entenda como ela funciona

Cirurgia de prótese peniana: Entenda como ela funciona

Muito se fala sobre remédios para disfunção erétil, porém, quando eles falham, o recurso mais eficaz para recuperar a rigidez e acabar de vez com esse distúrbio é a cirurgia de prótese peniana.

Você conhece essa cirurgia? Sabe quando é realmente necessário fazer esse tipo de procedimento? Ou como funciona a cirurgia para inserção desse tipo de prótese?

No post de hoje, vamos te explicar tudo sobre o assunto. Por isso, continue lendo esse artigo e descubra mais sobre:

  • Como saber se você precisa de uma cirurgia de prótese peniana;
  • Como funciona esse tipo de intervenção;
  • O que fazer quando o procedimento é malsucedido.

Confira!

Cirurgia de prótese peniana: Como saber se vou precisar desse tipo de intervenção?

A cirurgia para prótese peniana é indicada para casos em que os remédios não funcionaram ou para quem apresenta algum problema que vem comprometendo a ereção.

Você deve consultar um urologista para saber se o seu caso realmente requer uma intervenção cirúrgica.

Caso a operação seja a saída, tranquilize-se, pois pode trazer a vida sexual de volta com grande satisfição. A sensibilidade do pênis se mantem, o genital continua quente, desejo e orgasmos não se alteram. Além disso, as próteses são implantadas internamente, ou seja não há nada para fora, não se vê a prótese, mas sim a ereção provocada por ela.

Como funciona a cirurgia

A cirurgia de prótese peniana deve ser planejada juntamente com o médico. Isso porque, a decisão de se colocar uma prótese precisa ser feita sem dúvidas e com o máximo de tranquilidade. Ele também vai verificar se existe a presença de fibroses que podem mudar a maneira de instalação das próteses ou indicar outras vias de acesso.

Após os exames, o próximo passo consiste em escolher a prótese que será implantada, avaliando a preferência do paciente, condição médica, custos e a anatomia do pênis.

Pré-operatório

No pré-operatório da cirurgia de prótese peniana, serão realizados alguns exames básicos de rotina nesse tipo de situação, como exame de sangue, cardiológico, dentre outros.

Nessa etapa, os níveis de açúcar no sangue do paciente devem estar sob controle,  para evitar infecções e garantir boa cicatrização.

O procedimento não é longo, mas nos casos com presença de fibroses que demandam reconstrução para recuperação de tamanho e espessura, ela pode durar de duas a três horas. O paciente poderá ser operado com anestesia local, raquidiana ou até mesmo anestesia geral.

Pós-operatório

No pós-cirúrgico, o profissional irá avaliar o como está o curativo e a necessidade de troca-lo e também vai passar orientações quanto a cicatrização.

O pênis deverá permanecer com curativo nos primeiros três dias, sem necessidade de retirá-lo na maior parte dos casos. E o paciente pode voltar a trabalhar entre sete e 10 dias após a realização do procedimento.

Após 30 dias, ele pode retomar sua rotina normal e a partir de 45 dias pode voltar à ter relações se estiver confortável.

O que fazer em casos de cirurgias malsucedidas

Existem alguns casos em que a cirurgia de prótese peniana é malsucedida. Agora você deve estar se perguntando: Por que isso acontece?

Bom, geralmente esse tipo de problema ocorre devido à  presença de placas muito fibrosas nos corpos cavernosos, diabetes (mesmo controlado) e a questões relacionadas a vascularização da pele local.

As queixas mais comuns após uma cirurgia mal sucedida são:

  • Redução no tamanho do pênis (quando a prótese precisou ser retirada);
  • O pênis ficou mais fino;
  • Inserção de prótese do tamanho incorreto;
  • Implante que não resolveu a questão da rigidez peniana.

Por isso, o mais indicado é buscar um profissional qualificado para reavaliar o pênis. Caso tenha algum problema aliado à disfunção erétil, é preciso resolve-lo se possível na mesma cirurgia para não afetar o resultado final do paciente.

Gostou do post? Ficou com alguma dúvida? Aproveite para comentar abaixo!!!

Veja Mais Artigos >>