Covid-19 aumenta 6 vezes o risco de Disfunção Erétil

Estudo Europeu

A maioria dos estudos investigando os efeitos da infeção da Covid -19 está muito concentrada na saúde reprodutiva dos homens.

Um grupo europeu, contudo, decidiu avaliar a possibilidade do surgimento de algum efeito precoce ou tardio na função sexual masculina em si.

Já é sabido que a rede neuro-vascular que permite e mantém as ereções são sensíveis e muitas vezes afetadas de modo tão incisivo que sintomas de Disfunção Erétil podem ser utilizados como marcadores de doença aterosclerótica ou como marcadores de eventos cardiovasculares potencialmente letais.

Com relação à Covid-19, contudo, talvez esse seja o primeiro estudo científico que tenha mostrado a correlação da infecção e o surgimento de quadros de perda de ereções, mesmo em pacientes relativamente jovens.

O estudo envolveu 100 homens de um total de 985 homens sexualmente ativos do grupo [email protected], um grupo formado para ser seguido e estudado ao longo do tempo.

Para o estudo, fatores de confusão foram excluídos. Eles poderiam afetar os resultados por serem reconhecidamente como fatores que ”naturalmente” o aumentam o risco para disfunção erétil ou para suscetibilidade ao Covid-19.

Homem jovem com disfunção erétil pos COVID

Risco 6 vezes maior

Após realização de análises estatísticas básicas e avançadas, o resultado foi surpreendente, há quase 6 vezes de aumento do risco de disfunção erétil no grupo de homens que contraiu Covid em relação ao grupo que não contraiu.

São dados realmente impressionantes e presentes em pacientes relativamente jovens, com idade variando entre 29 e 45 anos.

Essa faixa de idade foi propositalmente escolhida para não se adicionar ao estudo pacientes com idades mais avançadas que naturalmente apresentariam perda de potência.

 

Possíveis explicações

Uma explicação plausível é o efeito negativo que a infecção pode causar no interior dos vasos, especialmente nos pequenos vasos. Essa rede vascular em bom estado é base para que ereções de qualidade ocorram.

Uma segunda explicação recai sobre o que enfatizamos no início do texto, a sensibilidade das ereções a quadros inflamatórios ou ateroscleróticos sistêmicos – servindo inclusive como marcador de uma boa saúde masculina.

Alguns homens podem não conhecer fatores de rico de base ainda não manifestados, mas precoce e agudamente expostos pela infecção de Covid-19, com o surgimento de diabetes, cardiomiopatias, miocardites, elevações do colesterol e hipertensão. Por essa explicação, a disfunção erétil poderia ser causada não diretamente pela Covid-19, mas pelas doenças ou condições desencadeadas pela Covid-19.

Finalmente o estudo conclui que a Disfunção Erétil pode ser uma complicação precoce ou tardia da infecção e recomenda que qualquer piora súbita nas ereções entrem no radar de médicos e pacientes quanto a possibilidade de uma infecção por Covid-19

 

Peyronie

Vale lembrar que se extrapolarmos os resultados e considerarmos o quadro inflamatório desenvolvido e desencadeado pela infeção da Covid-19, poderemos estar prestes a encontrar um aumento substancial no número de pacientes com Doença de Peyronie.

É preciso ressaltar que há uma série de limitações no estudo descrito e novos protocolos devem ser realizados para a confirmação dos achados.

 

Leia Mais

DOENÇA DE PEYRONIE E A DISFUNÇÃO ERÉTIL ESTÃO ASSOCIADAS?

Como escolher a prótese peniana? Tudo o que é preciso saber aqui.

8 Causas Reversíveis de Impotência Sexual

Remédios Naturais e Comerciais para Impotência Sexual